PalhaSUS participou do Dia Mundial do Rim em João Pessoa


O projeto de extensão Palhasus, participou no dia 18 de março de uma caminhada alusiva ao dia mundial do Rim 2017 promovido pela Sociedade Brasileira de Nefrologia e em parceria com o Hospital São Vicente de Paulo. Ao longo dos anos, essa Campanha de Prevenção tem-se intensificado, ampliando cada vez mais o número de pessoas atingidas com informações sobre prevenção e a importância do diagnóstico precoce da doença renal crônica.Esse ano, o tema do Dia Mundial do Rim foi “Doença Renal e Obesidade. Estilo de vida saudável para rins saudáveis”.  Em João Pessoa, a campanha ocorreu através de uma caminhada no Busto de Tamandaré, entre a divisa das Praias de Tambaú e Cabo Branco. O Palhasus, como já era de esperar não ficou de fora!
Coisinha, Mafalda, Lilica e Dadá 
Atuante no hospital São Vicente de Paulo todos os Sábados pela manhã foi representado pelas Palhaças Cuidadoras Coisinha, Mafalda, Lilica e Dadá que aproveitaram para pegar um bronze e contribuir nessa conscientização importantíssima divulgando ações preventivas. 


Andreza Roberta, estudante de Terapia Ocupacional e a Palhaça Coisinha disse sobre a atuação do sábado : ‘‘Eu gostei bastante da atuação de sábado no busto, acredito que entramos realmente nessa luta contra o sedentarismo, que foi bastante destacada durante a caminhada. Mesmo enquanto palhaça coisinha estava sedentária porque no hospital não tem muito pra onde correr e se exercitar e ali, na caminhada, foi o.local de sair desse padrão acomodado. Dançamos, pulamos, gritamos, agitamos, corremos e tudo mais. Além da interação com os demais que estavam presentes, sejam profissionais, pacientes, familiares...   E os transeuntes da orla, levando sempre a reflexão para a luta contra as doenças renais.’’


Letícia, também estudante de terapia ocupacional, Palhaça Cuidadora Mafalda destacou ‘‘foi uma experiência nova e enriquecedora. Atuar em um ambiente não hospitalar e de certa forma, transpor o cuidado irá acrescentar significativamente em minhas atuações. Participar da Caminhada me mostrou um outro lado da história. Um lado que previne, promove e comemora a saúde. Escutei vários relatos de pessoas que passaram pela doença e estavam lá para mostrar que é possível superar os sintomas e as consequências que a doença causa. Enfim, gostei bastante da atuação!’’

Já Dalyane, estudante de Terapia Ocupacional, Palhaça Cuidadora Dadá, enfatizou entre outras coisas ‘‘essa ação teve um significado diferente para mim, ela marcou um novo recomeço da nossa trajetória no hospital através do reconhecimento da equipe acerca do papel do palhaço neste ambiente. O dia em si foi muito legal, foi possível interagir com todas as pessoas que se encontrava no local e poder fazer o que o palhaço cuidador sabe fazer melhor: disseminar cuidado a atenção em prol da promoção da saúde.’’