PROJETO


O projeto PALHASUS caracteriza-se pelo foco na humanização, considerando que o processo de cuidado em saúde envolve interações humanas. Esta tem sido uma preocupação histórica na melhoria da qualidade dos serviços de saúde, uma vez que se observa que essas interações encontram-se limitadas pela ênfase no aspecto técnico e na condição biológica da doença, perdendo a perspectiva dos sujeitos envolvidos. Os participantes, a partir de formação prévia na Oficina do Riso da UFPB, desenvolvem o papel do Palhaço Cuidador, aperfeiçoando uma tecnologia leve cujas habilidades dependem do exercício em espaços privilegiados de desenvolvimento do cuidado. O projeto elenca cenários de práticas que envolvem pessoas em situações de internação hospitalar e/ou de vulnerabilidade social. Enfoca as diversas fases da vida humana, desde a infância à velhice. Essa atuação, além de contribuir na formação dos estudantes, no tratamento e cuidado das pessoas visitadas, repercute também nos trabalhadores, ao despertá-los para o auto-cuidado no papel de cuidador. Ao longo da história do projeto, que teve início em 2010, já foram realizadas três Oficinas do Riso, que juntas formaram mais de 80 Palhaços Cuidadores. Os atuais cenários de prática do projeto incluem o Hospital Universitário Lauro Wanderley, o Complexo Psiquiátrico Juliano Moreira e o Hospital Padre Zé. O projeto integra também o Programa de Educação Popular em Saúde - PROGEPS, onde divide ideias, inquietações e ações no campo da Educação Popular junto com os projetos de extensão PINAB, PEPST, PEPASF e PROGEP.